Artigos Uncategorized

Jean Meckert e a vida conjugal do operário | Rafael Pinheiro

Rafael Pinheiro

Para falar de Jean Meckert, também conhecido pelo pseudónimo de Jean Amila, é preciso primeiro conhecermos os traços mais importantes do percurso de vida deste autor. Nascido em França, em 1910, numa família pobre da qual foi separado precocemente, com um percurso que passa pela Grande Depressão e pela mobilização na Segunda Guerra Mundial, os seus livros retratam o dia-a-dia daqueles que nascem do lado marginal da sociedade e que são esquecidos pelas literaturas e pelos cinemas da sociedade burguesa.

Meckert não é um existencialista, mas um rebelde das letras francesas. É sabido que conheceu precocemente, na vida, o desespero e a pobreza, tendo sido forçado a recorrer a uma série de extenuantes trabalhos precários para sobreviver. No seus romances, encontramos frequentemente um espelho do desespero da condição do operário, mas de um operário que não se identifica com os falsos estereótipos de ignorância que a burguesia associa à sua classe. Acaba por possuir uma capacidade de pensar forte, com um espírito crítico que o faz ultrapassar, intelectualmente, a própria burguesia, à qual ele mesmo faz acérrimas críticas. Foi em quartos de hotel sórdidos e miseráveis, depois de intermináveis jornadas de trabalho, que o autor, motivado por uma vontade obstinada de sobreviver e pela sede de vingança contra um mundo dominado por regras absurdas e tão perverso como os próprios homens, fez o seu ajuste de contas com a sociedade em páginas onde grassam a raiva e a violência.

O romance “Les Coups”, publicado em Portugal pela Antígona sob o título “Golpes”, é uma história que, num tom um pouco mais moderado mas sarcástico, relata o choque entre a vivência operária e a cultura burguesa, quando ambas são forçadas a conviver. Félix, uma personagem que poderá ter sido baseada no próprio Meckert, é um operário que também conheceu cedo a desgraça na vida. Aos 26 anos, decide recompor-se e encontra trabalho numa oficina de carros, onde conhece Paulette, pequeno-burguesa de boas famílias. A paixão entre ambos parece começar bem, mas depressa se torna perceptível a mútua incompreensão entre ambos, representada através do convívio com a família. Para Félix, a família de Paulette fala apenas por falar e a amena cavaqueira, o falar sobre tudo acabando por não falar sobre nada, serve apenas para disfarçar a falta de profundidade e de autenticidade de uma burguesia que fala sobre arte e cultura sem nunca verdadeiramente as compreender, invocando-as de forma vazia, apenas pela ostentação associada a tal estilo de vida. A hipocrisia da ostentação burguesa e da teatralidade do convívio social fracassa em iludir Félix, que acaba por se irritar com os comportamentos da família de Paulette.

Jean Meckert

Conforme a história se aproxima do fim, o descontentamento de Félix merca rupturas cada vez mais sérias e agressivas no seu relacionamento com Paulette. No entanto, com alguma ousadia, podemos considerar que não há uma personagem completamente correcta nem completamente errada e que são ambas o resultado do desfasamento social causado pela distância entre ambas as classes. Se em Félix temos o operário amargurado, descontente com a vida, incapaz de se entregar à felicidade do conformismo, em Paulette temos uma pequeno-burguesa detentora de sonhos irrealistas e de um idealismo vazio de sentido no que diz respeito à vida conjugal, fruto da sua vivência pequeno-burguesa. Este choque cultural condena o casal à mútua incompreensão.

Publicado em França em 1941 e traduzido para o português apenas em 2015, por Luís Leitão, “Golpes”, de Jean Meckert, é um retrato dos complexos de inferioridade que a sociedade impõe ao operário na sua relação com o mundo, da incerteza de este alguma vez se conseguir integrar no seio da sociedade burguesa e também uma ode às contradições da vida conjugal e da conciliação de personalidades e vivências distintas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s